sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Reveillon 2011 em Mertola e na Mina em particular



Prometo aos meus amigos e leitores deste blogue que vou usar cuecas hoje à noite, e de lycra como manda a regra,  quero começar o ano com um aperto, no sentido arcaico da palavra, comer as passas à meia noite, beber o espumante como manda a tradição e voltar ao trabalho como sempre. O ano 2011 vai ser o meu ano!

Um bom ano para todos e sejam felizes!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Em pré-Reveillon 2011...

Neste anuncio do Pingo Doce, onde o suposto senhor António de Melo Sousa e Silva repete o seu nome inúmeras vezes, é um exemplo perfeito como ver publicidade desta cadeia de supermercados, pode ser pior que cair em pelota em cima de urtigas.
Estive a resumir as costumes de Natal na minha mente deplorável, a história do consumismo nestes dias, dizem os mais poupados que se leva muito tempo nas grandes superficies comerciais a gastar, mas se pensarmos um pouco, há duas corridas aos supermercados, umas antes e outra definitiva no dia 26 de Dezembro a trocar as prendas, ou seja, dá mais trabalho, gera mais emprego é bom para a economia. Os chineses neste Natal ganharam claramente ao grupo Jeronimo Martins e ao Ti Belmiro, sejamos francos, os chineses não têm anuncios como o Pingo Doce, que ao fim do intrevalo da novela, visto 3 vezes podemos contrair alguma doença venérea ou cataratas. Depois deste "purgatório" do dia 26 até ao dia 31 de Dezembro, já começo a ter saudades da popota, esta personagem muito mal amada da televisão, tipo uma prostituta que se usa e abusa quando se quer, isso não se faz com a boneca. Agora é ir rapidamente às gambas e ao espumante barato comemorar o 2011, safa, ridiculo ou não apanhar uma camada sempre anima e esquece o 2010, menos mal, o Benfica foi campeão, menos bem, o Socrates ainda nos domina. 

Bom Pré Reveillon para todos!

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Feliz Natal e muita Saúde!

Quem disse que os trenós não têm travão de mão?

Não tenho muito jeito para elogiar ninguém, mas o meu grande elogio hoje é para o Pai Natal, que mesmo só existindo para alguns Boys e algumas meninas, não deixa de ser um camarada meu e ainda por cima é do Beifica! Um velhote de coragem, porque hoje em dia quem se dá com criancinhas está sujeito a sair nos jornais e ir ao "Prós e Contras da RTP" uma vez por mês. O Pai natal existe em todos nós, assim como o Natal, o bacalhau e as filhoses..

Assim como o Pai Natal nunca desiste de dar prendas, não desisto de desejar sempre a todos, amigos e familiares, e agora aos visitantes deste blog o Feliz e Santo Natal!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Proposta para a Consoada: Bacalhau no forno com Broa e Batata doce.

Pode faltar tudo numa mesa para a noite de 24 de Dezembro, mas o bacalhau nunca pode faltar. Eu era daqueles catraios que torciam o nariz quando o bacalhau cozido caia na mesa com couves gigantes e batatas cozidas a nadar em azeite. Há alternativas bem boas e gostosas para desfrutar na noite de Natal, e para tudo correr bem, não falem do Sócrates à mesa.

Ingredientes para 4 pessoas:
150 gramas de broa de milho, mas pode ser a olho de modo que cubra a travessa.
2 batatas
1 batata doce grandinha.
1 cebola média
1 pimento vermelho pequeno
4 ou 5 dentes de alho.
bacalhau (4 postas razoáveis) demolhado 48 horas antes.
Azeite q.b.
sal e pimenta.

Eu fiz com pimentos verdes eu sei, mas não havendo vermelhos... eu faço isto pela Benfica.

Corta as batatas e a batata doce aos cubos (raspa bem a batata doce, modos que fique com aquela côrzinha por fora violeta) joga depois com toda suavidade para dentro de uma frigideira com óleo bem quentinho. Junta a cebola cortada aos quartos e 3 ou 4 dentes de alho sem pela, apenas esmagados, mais o pimento cortado aos quadrados, colocar sal e pimenta quanto baste, atenção porque o bacahau já tem sal, por isso não abuses dele!. Não exagerar muito no azeite, apenas dar uma fritadela de módos que cozinhe a batata e não ficar crua, a batata doce coze mais depressa, assim que tudo apurado colocar numa travessa pirex ou barro à parte. Na mesma frigideira, com o azeite que restou ou colocar um pouco mais (conforme) fritar dos dois lados as postas de bacalhau apenas para dar uma corzinha dourada e realçar o gosto. Depois desfiar em lascas bem generosas, tirar as espinhas e colocar na travessa onde estão já as batatas. reduzir a broa em farinha, eu usei a maquina dos batidos ;-) na mesma frigideira do bacalhau, saltear 3 dentes de alhos cortados com azeite e juntar a broa esmigalhada e dourá-la, envolver a dita com muito amor até ficar douradinha. No final cobrir a travessa onde já está o bacalhau e as batatas com a broa e ir ao forno durante 20 minutos, até a cobertura da broa estar estaladiça e apetitosa.


Acompanhar com vinho branco leve. Do Lidl por causa das loucuras, vinho branco ainda com o IVA de 2010 pois claro.

Dá um aperto na foto para veres o pormenor da coisa.


Bom Natal!

domingo, 19 de dezembro de 2010

Solidariedade no Natal fica sempre bem...


No Natal os nossos corações ficam mais brandinhos e moles que nem uns medronhos maduros. Agora que o frio aperta e passamos mais tempo que costume a ver televisão, meio de comunicação que passa constantemente programas de Natal pautados por um carisma fraterno e solidário.. nos ditos, socialités e peixe graúdo jantam belos repastos no casino de Estoril ou em grandes salões gourmet, dizem-se essas galas, que servem para dar a cara pela pobreza... como? Muito fácil, ir a grandes jantares e galas de "beneficiencia", entrevistadas as senhoras todas aperaltadas como manda a lei, dizem, "eu estou sempre disponível para defender esta causa" mas qual causa? Ir ao jantar de gala e comer e beber bem, passear o seu novo vestido para sair na flash e aparecer na Sic? Onde com alguma esperteza descobrimos que têm mais celulite nas nalgas que uma clementina bem madura. Que causa? a causa do estômago ou de mostrar o maior decote de Natal? Fiquei a perceber minutos depois que a causa é angariar alguns fundos para uma "missão", para que muitos portugueses evidentemente contribuírem com os seus donativos, acho eu que alguns decotes apresentados por essas senhoras ajuda a contribuir para mais chamadas telefónicas, mais uma missão, é por uma boa causa pois obrigado!
Nas galas de Natal não faltam os melhores artistas de Portugal, cantam em playback e levam umas garotas com vestidos bem curtos, ora não estivéssemos em contenção de despesas. No fim, a entrevista ao grande cantor ou cantora, depois de um palyback magnifico em que os lábios estavam sincronizados com a musica.. dissertam sobre a cantiga e a pobreza em Portugal, e dizem com a lágrima nos olhos: "Estou sempre disponível para esta causa, a minha missão no Natal é ajudar quem mais precisa" e depois de mais uma pergunta dizem: " Vou ter um disco novo, já já para o principio do Ano, e este que já saiu é uma excelente prenda de Natal", (passem um bom Natal, mas comprem a merda do meu CD para juntar aos muitos que já lancei e que me deram para comprar um par de vivendas e um Mercedes topo de gama...) no fim, juntam-se aos convidados numa party pós-concerto de Natal, com as bailarinas, artistas e socialités. Com decotes deslumbrantes, mostrando porque razão a silicone é moda seja onde for, mas mesmo depois disto fico convencido que isto é por uma boa causa, e que os pobres continuam na rua e outros cada vez mais miseráveis, mas pergunto-me como seria a vida sem estas galas? será que existia menos solidariedade ou havia menos hipocrisia?

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

sábado, 11 de dezembro de 2010

No dia em que o nosso presidente acordou e comeu toucinho de porco preto

É Natal, sabemos, está frio e as focas correm perigo de extinção, isso também sei, e fico entusiasmado com a ideia que o nosso Presidente da Republica já faz como muitos alentejanos antes de ir para a jorna, ou seja, bebe um bagacinho enjum e come pão com toucinho lá para o meio da manhã, mesmo daquele toucinho que fica a escorrer pelas mãos e com uma faquinha ponte-aguda da mão esquerda, mas não é isso que ia falar, apesar que era bom ele iniciar-se nestas praticas milenares, para saber come é que é! Mas finalmente acordou ao lado da sua Maria, passa a mão pela cara e acende a televisão na TVI, abre as janelas de par em par, a brisa do Tejo e o sol matinal lhe resplandeceu o rosto.. e pensa nisto: “Envergonha-nos a todos saber que há portugueses com fome”, Vou já comunicar isto aos portugueses! No fundo saiu da redoma onde estava preso e começou a falar a falar, a sussurrar aos poucos a realidade em que o país vive, são devaneios e reminiscências de quem é Presidente e candidato, vê tudo mais claro, clarinho como as aguas do Tejo onde as tainhas se vão alimentar. Sim! é Natal e está frio, será utópico abrir umas páginas no jornal do costume, em sonhos, ou talvez não, um dia ainda hei de ver o Sócrates a dizer que estamos em crise, e também há fome em Portugal... isso era sonhar alto, mas é Natal, e está frio, mas tenho esperança...

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Tradições Seculares IV


obra em paint do microsofte, feita à pressão com destria no mouse em 5 minutos 
Tomei a liberdade de publicar mais um post antigo do extinto blogue "A Taberna dos Caloteiros" para desanuviar e pensar na bonita tradição que temos, o raminho atrás da orelha, que já não vejo há muito tempo e que me traz profunda nostalgia e comichão nas partes baixas.

Existe algo que me deixa intrigado, cada vez mais somos público da mais variada publicidade, novos produtos como perfumes, after shaves etc. São sinais dos tempos, até dos proprios metrosexuais já se impõem na sociedade moderna aos poucos. Poucas tradições aguentam, caso disso, é o belo do raminho atrás da orelha. Dantes via muito, e agora só no banco dos reformados, por isso ha que defender esta causa. Juntem-se no movimento para o raminho aromático.
Iniciem esta prática passada de geração em geração, porque não há nada como o aroma natural do poejinho quando viemos do cogumelo!!
Como?
Para quem anda mais desatento, isto tem as suas regras:
- O raminho têm até 15 centímetros, variando da planta em questão.
- O poejo, alecrim são muito cumuns, apesar de ja ter visto hortelã e erva cidreira.
- A orelha (por norma a ser usada) é a esquerda. A direita fica livre pró cigarrinho.
- Tomar nota a alergias variadas provocados por certo tipo de ramos.
- Atenção ao "encaixe" do ramo, tal não se pode soltar com o vento, cabeçadas etc.
- Há quem use alguns de reserva no bolso, caso o usado estar extremamente murcho.
- Não cair no ridículo de ter um ramo de 20 centímetros, isso é só para homens já batidos no assunto e com larga experiência nesta arte.
- não usar um raminho de cada lado, se chegar a casa a sua mulher pode pensar que vc já sabe que é cabrão, em casos específicos claro.
- Não substituir o agradavel aroma do raminho pelo belo do banho com sabão azul, a higiene acima de tudo!
- Não misturar o raminho com bebidas alcoolicas, existe o perigo de esgasgamento das vias respiratórias.
- Evitar a todo custo a mistura com after shave e bagaço que fica a escorrer nos cantos da boca, quanto muito um pouco de vinho para realçar as essencias do poejo e do alecrim.
- Não usar o raminho usado na confecção de alimentos, simplesmente porque é porco.


Que os nossos filhos e netos continuem esta tradição, não vamos deixar morrer esta arte milenar, vamos dar as mãos e trabalhar juntos em prol do raminho atrás da orelha!!!

Eu estava belo na minha vida a fazer perguntas destas

Porque razão os hipopótamos são vesgos na Tailândia e os pregadores protestantes só fazem sexo à 5ª feira? E qual é o motivo pelo qual, mal abro a tvi24 só vejo ignorantes, debochados e gagos?

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Tadições Seculares III Tipos de Homens que vao às Tabernas/Cafés (incluindo eu!)

Não sou muito frequentador de cafés nem tabernas, mas a observação de estereótipos sempre foi uma coisa em mim que me fascinou profundamente, ir à taberna reflexa o melhor de uma sociedade castiça que bem temos, e há que estimar estes atributos genuinamente portugueses, como encostar a palma da mão no wc quando vamos ao urinol, ou encostarmos-nos ao balcão do café firmes só com um pé (habilidade conseguida a muito custo!), são coisas importantes que não podemos perder. Em seguida tipos de homens que vão às tabernas:


O LEITOR: O leitor é tipo aquele amigo que vai ao café ou à sociedade, traz sempre o dinheiro contado que a sua mulher criteriosamente lhe deu, consome uma água das pedras e quanto muito um café com um bagacinho, traz normalmente os amendoins de casa e fala pouco com os outros clientes, o leitor normalmente tem uma boa reforma e esmiúça todos os jornais, é sempre o primeiro a saber das noticias e pontualmente à hora do almoço vai para casa sem se despedir de ninguém, mais uma coisa, paga logo assim que lhe aviam a agua.

Tempo de estadia: entre 5 a 8 horas                  Consumo: Entre 70 centimos e 1,50€

O "À COCA": Este individuo faz parte de qualquer sociedade ou taberna, bebe quase sempre cerveja média ou vinho branco. Come tremoços e amendoins e tudo o que o dono do estabelecimento lhe oferece gratuitamente, mete sempre conversa aos outros clientes, e a sua maior característica é: Quando um cliente vai pagar a despesa ele aproxima-se cerca de 50 cm a ver se lhe pagam alguma bebida. Concorda com os outros clientes, principalmente aos que costumam pagar rodadas, o "à Coca" nunca paga bebidas e é pessoa de poucos estudos, mas é simpático e guarda a casa quando o patrão do café se ausenta para almoçar ou urinar.

Tempo de estadia: entre 3 a 7 horas                  Consumo: 3.00€ a 5.00€

O EMBRIAGADO ANDANTE: Este tipo de cliente visita espontaneamente a taberna, bebe um copo, fala baixinho, mente quantos copos bebeu, traz o dinheiro contado para o copo de vinho e sai pela porta fora à procura da próxima estabelecimento. São homens reformados ou desempregados e não arranjam muita confusão.

Tempo de estadia: entre 2 a 10  minutos                 Consumo: 40 centimos

O BOÉMIO: Esta espécie de cliente é a mais rara de todas, hoje em dia poucos têm posses económicas para pagar aos outros e beber desmesuradamente, este tipo de homens são na sua maioria solteiros e são bons clientes. Se há maquina de bolas e furos da sorte costumam gastar muito dinheiro nessas coisas e quando bebem gostam de falar de politica e futebol, apesar de pouco entenderem desses temas.

Tempo de estadia: entre 3 a 6 horas                Consumo: 5 Euros para cima.

O COXINHO: Há sempre um coxinho em todas as tabernas, ou por acidente de uma caída dum burro ou porque sofre de ácido úrico, há sempre um tipo destes, normalmente simpático e de vez enquanto paga alguma coisinha ao pessoal. Quando anda com uma crises de dores, deixa de beber durante uns tempos retomando a sua prática habitual com uma bebedeira.

Tempo de estadia: entre 3 a 5                               Consumo: média 2,50€

O CALOTEIRO ENVERGONHADO: Este individuo emergiu na clientela das tabernas nos ultimos tempos, principalmente desde que somos governados pelo Sócrates, bebe e raramente paga, diz baixinho ao patrão do café para apontar e segue a sua viagem pelos outros cafés onde detêm uma boa conta.

Tempo de estadia: entre 2 a 10  minutos                 Consumo: Crédito


O TREINADOR DE BANCADA: Quem nunca foi a um café beber um cafezinho à segunda feira quando... gritando do outro lado do balcão vê, um individuo (normalmente de boné) falando do jogo de futebol da noite passada, da mãe do arbitro do dito jogo e que normalmente é do benfica, nunca viram um destes?

Tempo de estadia: entre 1 a 2  horas                 Consumo: 2 euros e um maço de tabaco ventil.

O RABACEIRO: O rabaceiro é de uma originalidade sem precedentes, é homem vivido, reformado e têm sempre dois ou três amigos do mesmo lote na mesma mesa, não trocam um prato de camarão por um pêro ou um marmelo, bebem unicamente vinho e raramente fumam.
Se virem vestígios de casca de marmelo cortados cirurgicamente num cinzeiro, um ou mais rabaceiros estiveram lá.
Tempo de estadia: entre 1 a 2  horas             Consumo: uma garrafa de vizinho branco para três e uns palitos.

E tenho dito.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Tradições Seculares II Tipos de Mulheres que vão aos bailes


" e agora quem dá mais??? 25 uma, 25 duas, 25 três!!! Vai para o Zeca do bairro de Santiago, este belo bolo de chocolate confecionado pela Dona Henriqueta!!!... mais um leilão para a comissão de festas, é a alegria, é o fumo do churrasco, as fitas de coloridas, são os bailes que outra vez falo, desta vez vou caracterizar as mulheres que vão a bailes (ou a "bálhos"), porque não?

1- "A mãe/Sogra" - A mãe, é uma personagem sempre presente em qualquer bailarico, normalmente assume a posição sentada de braços cruzados (não confundir com a posição do budda), fazendo uma marcação cerrada à filha e ao marido, bebe água e baila uma ou duas vezes por noite, vai cedo pra casa levando a sua prole atrás. Costuma reservar com 2 dias de antecedência a mesa do baile, e quando não está na quermesse a vender rifas, come os restos de farturas e as bifanas que os netos não querem mais.

2- "A guardada" - Esta mulher, ou melhor, rapariga, posiciona-se num lugar bem visto no baile, o namorado posiciona-se estratégicamente de lado (mão dada) ou por detrás. Ela dança com a mãe, com o namorado, acontece ocasionalmente ser "liberta" por uma amiga que lhe dá atenção. A "guardada" possui uma aura especial, os homens so olham de trás para ela, o namorado normalmente bebe pouco e boceja frequentemente durante a noite, sapatos de vela são a sua imagem de referencia e polo lacoste.

3- "A ladeada" - Muito cumum ver esta personagem, reparem que está sempre junta a três ou quatro amigos que dançam muito pouco e bebem muito. Acontece que ela está lá mesmo para isso, para se divertir e não lhe chatearem a cabeça, dança quando lhe apetece e não tem problemas com os abutres, é das pessoas que mais se divertem no baile. Tá lá batida todos dias, normalmente este tipo de raparigas não passam dos 25 anos ainda solteiras.

4- "A da Comissão" - Trabalhadora, usa às vezes t-shirt da comissão de festas, jeans e algumas ocasiões cartãozinho pregado na cintura, dança, avia minis e trabalha, é uma figura imprescindível neste tipo de certames. São gordas, magras, altas, baixas, coxas, são a alma da festa!

5- "A maratonista" - Chega no princípio do baile e vai pra casa no fim, dança com tudo o que lhe aparece, veste-se bem e é alegre, exímia na arte do bailarico e simpática pra todos. Normalmente é uma rapariga da terra e joga em casa. Se possui namorado, mal dele, pois mal a vê!

6- " A desgraçada" - Esta personagem, acompanhada sempre do marido (alguns casos leva os filhos e carrinho de bébé), só dança com ele e muitas vezes tem que esperar que o dito se aborreça de beber tanto, quando dança parece arrastada e faz sempre cara de séria parecendo uma vassoura articulada, fala só com senhoras conhecidas e situa-se normalmente na zona das mesas alugadas pela comissão de festas. A desgraçada gosta das festas e de bailes, mas já teve dias melhores.

7- "A solicitada"- é a rainha da festa, dança com poucos, é a mais bonita, mas também é a mais desconhecida, normalmente é uma rapariga que vem passar férias na aldeia pela primeira vez e é solicitada por 60% dos marmanjos (os outros 30% estão mais interessados na Sagres) A solicitada gosta de dar nas vistas e marca presença principalmente no Verão, altura em que a testosterona masculina anda mais elevada e o consumo de alcool é mais abundante.

8- "A Boazona" - Desculpem o termo, mas é o que todos dizem quando ela passa, vestida para enlouquecer, não dá trela a ninguém, nunca passa despercebida e a maralha não se atreve nem a olha-la, vê-se acompanhada por uma amiga ainda melhor do que ela, dança algumas vezes e sabe que é uma atração no baile, vai para um murinho para se sentar e passa a noite a desconcentrar o povo, ela é uma peça fundamental nestas festas!!

Atenção que estas são personagens estereotipadas, havendo por sua vez mulheres bem diferentes, todos que compõem este leque de pessoas, são as que dão vida às nossas belas tradições populares!!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Olha que há gente com caganeira...

Por muito que as pessoas insistam na ideia utópica de um estado de direito e de liberdade como o nosso  o realmente (jejejeje tou a brincar).. mas por muito que insistam em ideias pragmáticas que não saem do papel, as causas de toda uma luta passada, onde muita gente foi torturada, desaparecida e enterrada. Estas lutas foram vãs? Foram inúteis? Quando vemos patrões com a boca cagada de esterco incentivando os seus camaradas patrões a destruir tudo o que os sindicatos, outras pessoas realmente de esquerda, conseguiram ao longo dos anos, para eles o meu desprezo e para este principalmente que aqui fala a seguir:

Ulrich diz que é "indispensável" liberalizar despedimento individual

O presidente do BPI, Fernando Ulrich, considera “indispensável” a liberalização do despedimento individual. Nas declarações desta manhã de quinta-feira sobre os despedimentos, Ulrich sublinhou a importância da reforma.

Durante um pequeno-almoço, promovido pelo 'Jornal de Negócios', Ulrich reforçou que “esta é a reforma mais importante de todas”, afirmando que não compreende porque é um tabu.
O banqueiro sublinhou que “o despedimento colectivo em Portugal é bastante fácil, ainda que seja um estigma para as empresas, que, por isso, fazem desta a última opção.”
O presidente do BPI deu o exemplo do banco, afirmando que, se o despedimento individual fosse agilizado, dos 7 500 trabalhadores, Ulrich "despediria apenas 10 ou 20 pessoas que em nada contribuem para o todo da instituição."

Ou seja, tu és mau, eu não te gramo, vais pra rua e não me venhas bater à porta porque eu sou um banqueiro, ganho 1 milhão de euros mensais e não me venhas pedir pão, vai ao centro de emprego e pede que te dêem alguma coisa boa, e se não gostarem de ti, vai para o rendimento mínimo ou pra baixo da ponte com a família, porque eu conduzo um Mercedes, tenho uma vivenda e ainda por cima, sou apoiado pelo governo!

Então e não merecia com gato morto há 10 dias nas...???