quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Popota Vs Leopoldina, a furia de viver!


Longos foram os anos em que Leopoldina e Popota mediam forças dominando entre si o media, na altura natalícia. Leopoldina, uma avestruz alta e amarela, era aventureira e vendia brinquedos como ninguém, aquilo era bonecas, carrinhos, etc. Tempos em que as crianças fugiam em direcção ao Continente e regozijavam-se de apenas ver os brinquedos, um entusiasmo só visto quando o Pai Natal era credível. Leopoldina era a verdadeira escort de Belmiro e de todos os pais de Portugal. Discretamente, e seguindo uma dieta rigorosa, Popota, a vizinha do lado, seguiu passos seguros na direcção do estrelato, conquistando adeptos pouco a pouco, aprendeu a dançar, ganhou uma silhueta considerável e em 2011 tirou o lugar a Leopoldina, esse trono sagrado do consumismo natalício-publicitário. Hoje a Avestruz passou a ter um papel mais discreto acolheu a sua função, não menos importante mas bastante discreta, a causa humanitária. O valores estão mudados e Popota transfigurou-se, mostra agora as pernas e depois vende brinquedos, facilmente conquistou crianças e pais. Sinais dos tempos, esta é a mascote do Belmiro, mas tambem do tempo da troika, definitivo a hipopótamo fêmea está no coração de todos, como uma criança no outro dia no continente radiante de alegria ."papá olha a Poputa, olha a Poputa!" responde ele com um sorriso mordaz nos lábios "Pópota, Chiquinho, Pópota...

terça-feira, 15 de novembro de 2011

O Profeta: Alvaro Santos Pereira



O deputado do PCP, Jorge Machado, afirmou hoje no Parlamento que o alargamento do horário de trabalho em meia hora por dia é uma “alteração verdadeiramente inaceitável”, salientando que tal implica, juntamente com a inflação, uma quebra de 10% no poder de compra dos trabalhadores, equivalente a 7 mil milhões de euros. Jorge Machado acusou o Governo de ter cedido “em toda a linha às exigências do patronato” e que, com este orçamento, não haverá nem economia nem emprego.

Álvaro Santos Pereira reagiu às declarações dizendo que “não há empregos sem empresas” e que, para elas vencerem, é preciso trabalhar em equipa, tendo bons empresários e trabalhadores qualificados. “Sabemos bem o que aconteceu na União Soviética e em Cuba, não é com essa retórica classista que o senhor deputado vai convencer quem quer que seja”, atirou o ministro da Economia à bancada do PCP.

Não conhecendo a formação politica deste ministro que neste momento cada vez que abre a boca e sai uma profecia, como é o caso o principio do fim da crise já em 2012! Ficamos emprelhados de boas esperanças, com este ministro que tem uma formação norte americana, um homem deslocado do seu tempo enfim, se  tivesse nascido em 1945 teria certamente combatido os comunistas na guerra do Vietname na década de 60, como herói que seria concerteza, combateria aqueles sanguinários comunistas que no seu pequeno pais desafiavam os verdadeiros paladinos da liberdade, e ninguém se esqueça que aqueles comunistas eram vis e cruéis, embora camponeses e pobres, eram maus maus eram comunistas e sanguinários, comiam bébés como quem come chocapic ou pão com toucinho!!. Fujam os comunistas que há aí novo empalador da boa causa democrática, o profeta: Alvora Santos Pereira!

domingo, 13 de novembro de 2011

Abusa que eu gosto!



O Ti Epaminondas e a Ti Furmina estavam na cama, conversavam descontraidamente depois de estarem a ver durante horas o Peso Certo da SIC, quando ela diz, bocejando:

- Bem, vou dormir. Até amanhã, dorme bem querido!

- Já vais dormir Porra! Agora que eu ia abusar de ti - lamenta-se ele.
Ti Furmina põe o seu melhor sorriso, entreabre as pernas e adopta uma pose sedutora.

- Então abusa, porra, abusa, abusa, abusa!

-Bom, já que insistes, vai-me buscar um queijinho e uma cerveja preta... Vá.

sábado, 12 de novembro de 2011

Sósias

Achei reconfortante colocar um post curioso, não sei se alguem notou mas há duas figuras da vida pública portuguesa que são extremamente parecidos, e como não tinha mais nada que fazer no momento fiz um joguinho...

Quem é quem? José penedos (REN) A ou Carlos Costa (Governador Banco de Portugal) B

1: A ou B?
2: A ou B?

3: A ou B?

4: A ou B?
5: A ou B?
6: A ou B?

respostas: 1-A, 2-A, 3-B, 4-B, 5-A, 6-B

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Dialética do Destino: A caixa de supermercado



Reparai que é sempre assim como se fosse matemático, estás numa fila de um supermercado e vês que a funcionária da caixa nunca mais se despacha, há um problema! As nozes não foram pesadas, olha que chatice! Ordem para a paragem imediata da fila que já tem quatro pessoas sem paciência nenhuma, observei o típico e usual procedimento destas funcionárias: Normalmente há qualquer coisa que falta sempre, aumenta o suspense entre os actores do acaso... uns olham para os outros com aquele ar de incrédulos idiotas, sorrateiramente olhamos para o que o outro comprou, instantes eternos. Entretanto a funcionária confusa (dá a sensação que é a primeiro dia que lá trabalha) chama a colega do lado que já lá está há mais tempo e percebe da coisa, parece que trabalha lá há três dias porque sabe tocar no aparelho com melhor destreza, aquele olhar não engana, ela sabe daquilo... mas ao abandonar a caixa dela, deixa automaticamente os desesperados clientes a suspirar pela hora de seguirem com as suas vidas, os demais levam caixas ao colo, enchidos e umas garrafas de sumo, mas que raios, esqueceram-se de levar carrinho, transpiram, suam naquela maldita "bicha", buff buff amaldiçoam as pobres que não se desenvencilham. Duas caixas paradas porque o código de barras de mais um queijo flamengo não passa no laser, noutra caixa o problema é a falta de trocos e a maquina parou, prontamente resolvido por uma funcionária mais velha que traz cinquenta chaves ao pescoço, deve ser a chefe.  "Tão não vês que tens que tocar no Énter! E depois no botão do dinheiro ou do Multibanco, já está, vês?? Resolvido! E lá vai ela com o chocalhar das chaves, chach charch em direcção a uma porta branca e desaparece, ficamos órfãos da sabedoria...
Habitualmente decido mudar de fila, mas sempre, mesmo sempre quando troco de caixa a demora ainda se prolonga mais, mas porque? No fim tudo fica resumido ao encontro casual de varias pessoas espontâneamente num determinado momento das suas vidas, foram conjugados por causa da porcaria das nozes que não foram pesadas, uma dialéctica do destino apesar de ser estúpida acontece porque acontece, e nunca deixa de acontecer, para variar, no supermercado.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Aljustrel: Pastor reformado sem dinheiro para multa foi preso


Aljustrel: Pastor reformado sem dinheiro para multa foi preso
Um pastor reformado, com 75 anos, não pagou multa por falta de dinheiro o juiz do Tribunal de Beja emitiu mandado de detenção. O homem, residente num monte perto do Carregueiro, Aljustrel, foi julgado em Processo Sumaríssimo a sentença transitou em julgado 7 anos depois. Caso idêntico em Brinches teve o mesmo desfecho, um homem de 35 anos foi também preso.
Quase sete anos depois de ser acusado do crime de condução de veículo em estado de embriaguez, um pastor reformado, com 75 anos, foi conduzido na passada quarta-feira ao Estabelecimento Prisional de Beja, para cumprir uma pena de sessenta dias de prisão por não ter dinheiro para pagar uma multa de 540 euros.
Francisco Henriques, solteiro, residente no Monte do Tijolo-Carregueiro, concelho de Aljustrel, foi condenado em 17 de Maio de 2010, à pena de multa ou prisão subsidiária pelo crime julgado em Processo Sumaríssimo em 2004 e que só transitou em julgado na data acima referida, nunca tendo sido alvo de qualquer recurso por parte do acusado.
Quase um ano depois o juiz do tribunal de Beja ordenou a detenção do homem que vive sozinho, tem um sobrinho como familiar, sobrevive com uma parca reforma e sem posses para liquidar a multa.
O crime de Francisco Henriques foi “cometido” em 22 de Novembro de 2004, quando conduzia uma mota-quatro, num caminho de terra batida, nos campos onde trabalhava, acabando por cair da mesma, sendo transportado para o Hospital de Beja pelos bombeiros de Aljustrel.
Apesar de não ter provocado estragos em nada ou ninguém, nem sequer numa azinheira, a não ser nele próprio, no hospital foi submetido ao teste de alcoolemia, tendo acusado uma taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, o que levou à participação ao Ministério Público.
Apesar de se tratar de um Sumaríssimo, só sete anos depois transitou em julgado e levou o pastor à cadeia, já que nem ele nem o sobrinho tinham dinheiro para pagar parte ou a totalidade da multa.
Segundo uma fonte conhecedora do processo ouvida pela Voz da Planície, para recolher à cadeia, o homem “deixou o cão e quatro ou cinco galinhas com o sobrinho”, lamentando que o juiz “não tenha tido sensibilidade” para um caso que descreveu como “miséria social”.
No despacho o juiz descreve um rol de onze entidades bancárias, onde poderia ser feito o pagamento da multa e sustenta que para dar cumprimento ao mandado “autoriza a entrada na residência da pessoa a deter”, tendo o mesmo sido cumprido por militares do posto da GNR de Aljustrel.
Juntamente com Francisco Henriques, também Pedro Abrantes, de 35 anos, residente em Brinches, entrou no mesmo dia no Estabelecimento Prisional Regional de Beja, pelos mesmos motivos, um crime de condução sobre efeito do álcool e não ter pago a multa de 450 euros. O indivíduo vai também cumprir sessenta dias de cadeia, caso não liquide a coima, pelo crime praticado em 8 de Maio de 2005 e que só seis anos depois transitou em julgado.

Teixeira Correia Radio Voz Planicie

São noticias como estas que resumem facilmente a democracia em que vivemos, mais nada há para esclarecer apenas divulgar. Mas apetece dizer que um peido era pouco para este sistema anti-democratico em que os grandes nunca são punidos, e os mais pequenos são cada vez mais espezinhados e enrrabados, isto não é democracia é feudalismo!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Praça da Republica: O blogue do PCP

Face a publicidade a outros blogues, eis o que mais fala do PCP e CDU que qualquer um, em qualquer circunstância. Na internet...

Praça da Republica!